17 de abril de 2020

|

por: ludens

|

Categorias: Novidades de Tratamento

Você sabia que não existe voz igual?

IMG_1762.jpg

No Dia Mundial da Voz (16/04), contamos com a ajuda da fonoaudióloga da Clínica Ludens Michele F. Turati para explicar porque cada pessoa possui uma voz diferente.  De acordo com ela, o mecanismo para gerar a voz humana pode ser dividido em três partes: os pulmões, as pregas vocais dentro da laringe e os articuladores, que são: lábios, língua, dentes, palato duro, véu palatino e mandíbula.

Para que o som seja emitido pela boca, existe todo um processo anterior. “O pulmão produz um fluxo de ar que funciona como um combustível para a voz, que é expulso pelo diafragma e passa para as pregas vocais. As mesmas vibram e transformam esse ar em pulsos sonoros, formadores da fonte de som. Os músculos da laringe ajustam a duração e a tensão das pregas vocais para adequar a altura e o tom e os articuladores articulam e filtram o som emanado pela laringe”, explica Michele. “Até certo ponto, eles podem interagir com o fluxo de ar para fortalecê-lo ou enfraquecê-lo como a fonte do som”, completa.

Uma curiosidade é que as pregas vocais, juntamente com os articuladores, podem produzir sons altamente intrincados, ou seja, o tom da voz pode ser modificado para sugerir emoções como raiva, surpresa e felicidade.
Segundo a fonoaudióloga, a voz pode variar quanto à intensidade, altura, inflexão, ressonância e articulação, sendo única. Cada pessoa, portanto, possui uma “caixa de ressonância” típica e a qualidade vocal (ou timbre) varia.

_Cuidados com a voz_

Muitas vezes a voz é um instrumento de trabalho e precisa de alguns cuidados, como a higiene vocal. De acordo com Michele, uma boa voz caracteriza-se por apresentar qualidade agradável, equilíbrio de ressonância, intensidade (volume alto ou baixo), frequência (grave é “grosso” e aguda é “fininha”), “limpa”, sem rouquidão ou outros sintomas e, principalmente sem esforço muscular. “Qualquer alteração na voz é denominada disfonia. Pigarros, tosses e “raspar” a garganta são hábitos que podem ocasionar o aparecimento de alterações nas pregas vocais porque provocam atrito constante e brusco”, orienta. O ar condicionado também pode ser vilão e provocar o ressecamento das pregas vocais. “É aconselhável ter sempre um copo de água por perto para mantê-las umedecidas”, finaliza a fono da Ludens.