9 de março de 2021

|

por: stella

|

Categorias: Sem categoria

Semana da Mulher – Por Rebeca

image.png

Minha história – Rebeca

Sou a Rebeca de Cássia Ribeiro Lopes, mãe do Miguel de 3 anos e 3 meses, que nasceu com uma anomalia muito rara chamada Hemimelia Tibial. Ela acomete um em cada um milhão de nascidos vivos e nós fomos os escolhidos para cuidar, amar e aprender junto com ele.

Desde que o Miguel nasceu sou eu que corro atrás de tudo, deixei meu trabalho e fiquei 100% focada no tratamento dele. Levo nas terapias, no médico, para fazer os exames, mas apesar dessa rotina de casa, casamento e diversas tarefas, no fim do dia tudo faz valer a pena. No meio dessa correria, procuro um tempo pra mim, pratico Pilates e corrida de rua, não na frequência que gostaria, mas sempre que eu consigo eu saio para correr e colocar meus pensamentos em ordem, respirar e chorar quando sinto que estou cheia por dentro (risos). Para aguentar os dias puxados, para pegar o Miguel no colo, preciso estar bem.

Mas mesmo com toda dedicação que sempre tive com o Miguel, ver a evolução dele e o resultado de todo esforço, ainda faltava algo na mulher que sou, pois sempre desempenhei muitos papeis: esposa, mãe, amiga… mas a mulher que existia em mim estava esquecida. Foi então que resolvi me arriscar e me recolocar no mercado de trabalho e arrumei um emprego onde eu consigo manter minha rotina com ele e ainda me sentir realizada, me arrumar, socializar com outras pessoas. Posso dizer que foi uma das melhores decisões que tomei, tem dias que me sinto cansada, mas é um cansaço gratificante, uma sensação de bem estar por fazer algo por mim também.

Sempre admirei minha mãe, que me criou e a meus três irmãos, sempre presente, nunca trabalhou fora, mas era um tempo diferente. No início me sentia culpada por ter esse espelho dela, mas depois percebi que se eu estou feliz, consigo aproveitar muito mais meu tempo livre com o Miguel. Depois que voltei a trabalhar e a reconhecer que é importante também seguir minhas vontades, ter um tempo pra mim, consegui administrar muito melhor minha vida e meu tempo com a minha família, que é muito mais de qualidade.

Tenho uma família de maioria mulheres e admiro todas, pois cada uma tem seu jeito: minha irmã, minha mãe, minhas tias e primas são uma rede de apoio onde eu me sinto amada e apoiada. Não tenho uma filha mulher, mas tenho minhas afilhadas que amo muito e quero ser um bom exemplo de mulher forte e determinada, assim como para meu filho, que ele saiba respeitar e valorizar todas as mulheres.

Uma mulher que também admiro muito é a Elem, fisio do Miguel na Ludens. Nossa relação é extremamente importante e maravilhosa, ela é uma mulher que faz a diferença nas nossas vidas, muito atenciosa, me ensina muitas coisas, se dedica a fazer sempre o melhor para o Miguel. Falo que além de fisioterapeuta, ela é minha psicóloga, pois vai muito além do atendimento, ela é humana.

E eu fecho minha história com a indicação de um vídeo que eu amo e que gostaria de deixar para outras mães. Ele representa meu sentimento e sempre que eu me sinto triste ou perdida, eu o vejo:

https://m.facebook.com/story.php?story_fbid=3137993619634856&id=100002727469361