27 de agosto de 2019

|

por: ludens

|

Categorias: Novidades de Tratamento

Meu filho precisa usar óculos. Será?

É muito comum os pais chegarem na consulta com o oftalmologista relatando que o filho não está enxergando direito. Isso se deve, por exemplo, porque a professora identificou uma dificuldade da criança em ler e copiar as palavras da lousa ou então porque a letra do filho está assimétrica demais. O fato é que, muitas vezes, o problema não está na perda de visão, e sim, no processamento visual de reconhecer e interpretar a informação recebida.

Esse tipo de dificuldade é muito comum e pode ser diagnosticado por meio de dois testes muito confiáveis e que são aplicados por terapeutas ocupacionais.

 

Quais são eles?

O TVPS (Teste de Habilidades de Percepção Visual) mede os vários aspectos da capacidade de processamento visual em crianças e adolescentes dos 4 aos 18 anos. Segundo Lígia Carvalho, terapeuta ocupacional da Clínica Ludens, o TVPS permite identificar alterações na percepção visual por meio de sete subtestes: discriminação visual, memória visual, relações espaciais, constância de forma, memória sequencial, figura fundo e fechamento visual.

“A percepção visual é a capacidade de reconhecer e identificar as qualidades de objetos para fazer julgamentos precisos sobre o tamanho e as relações espaciais dos mesmos”, explica. “Já a habilidade motora ocular é a capacidade dos olhos trabalharem em conjunto e coordenadamente. E uma vez que muitas informações visuais são apresentadas no ambiente em que a criança está inserida, aquela que apresenta um distúrbio de percepção visual pode estar em desvantagem em diversas situações”, completa a terapeuta.

Já o BEERY VMI (Avaliação das Habilidades Viso Motoras) é um teste que avalia a habilidade motora e visual (coordenação) de crianças e adultos que apresentam problemas na leitura e escrita. Ele consiste em três etapas: Berry VMI (coordenação viso-motora), percepção visual e coordenação motora. De acordo com Lígia, as desordens das habilidades viso-motoras têm um profundo impacto no desempenho ocupacional das crianças em idade pré-escolar e escolar. “Temos que estar muito atentos, pois alterações visuais e de coordenação motora podem afetar o desempenho acadêmico da criança, além de interferir nas aquisições das habilidades para as atividades da vida diária”, acrescenta a terapeuta.

 

Capacitação na área

Diante do que foi citado, Lígia frisa a importância dos profissionais de saúde e educação estarem capacitados para identificar esse tipo de disfunção a fim de fazer a intervenção necessária rapidamente.

 

Por isso, a Ludens está lançando dois cursos específicos sobre as avaliações TVPS e VMI de capacitação desses profissionais, que serão ministrados por Aneeta Sagar, terapeuta ocupacional americana referência mundial no assunto. O primeiro (http://www.clinicaludens.com.br/cursos-ludens/curso-Aneeta-Sagar-Integracao-Sensorial-Visual.html) tem como objetivo apresentar informações sobre esse tipo de disfunção, suas implicações educacionais e no desenvolvimento, intervenções terapêuticas e a colaboração com a equipe multidisciplinar (médicos e profissionais de educação).

 

Já o curso sobre VMI (http://www.clinicaludens.com.br/cursos-ludens/curso-Aneeta-Sagar-Integracao-Sensorial-VMI-BEERY.html) é destinado a terapeutas ocupacionais pediátricos e demais profissionais da área da saúde que lidam com crianças e adultos (inclusive idosos) cujos diagnósticos são de transtorno do déficit de atenção, distúrbios de aprendizagem, distúrbios do desenvolvimento generalizado, distúrbios comportamentais, disfunções de integração sensorial, entre outros em que suas habilidades motoras visuais estão impactadas.

 

“Os cursos também irão abordar como terapeutas treinados em integração sensorial podem utilizar as suas observações clínicas e o conhecimento para melhor avaliar as habilidades de percepção visual e motora da criança por meio das avaliações padronizadas”, finaliza Lígia.