140x140

Terapia Ocupacional - Método Neuroevolutivo - Bobath

O Conceito Neuro evolutivo – Bobath é uma abordagem terapêutica para a solução de problemas, avaliação e reabilitação de pacientes de todas as idades que apresentem distúrbios de controle postural, movimento e função, causados por fisiopatologia do Sistema Nervoso Central.

 

O Método Bobath é utilizado por fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais e fonoaudiólogas. O princípio do Conceito Bobath consiste na inibição dos padrões reflexos anormais e a facilitação dos movimentos normais.

Nesta abordagem, o paciente aprende a sensação do movimento, e não o movimento em si. Sendo que os objetivos são: diminuir a espasticidade muscular, introduzir os movimentos automáticos e voluntários a fim de preparar o paciente para os movimentos funcionais, onde o tônus anormal pode ser inibido e os movimentos mais normais, facilitados.

Os equipamentos mais utilizados neste conceito são: bola terapêutica, o rolo, o andador, o espelho, entre outros.


"... Uma maneira nova de pensar, observar, interpretando o que o paciente pode fazer, ajustando então o que nós fazemos, em termos de técnicas; ver e sentir o que é necessário, possível para que eles, inicialmente com nossa ajuda consigam fazer. Nós não ensinamos movimentos, nós fazemos-lhes possíveis..." (Bobath, 1989).

O terapeuta ocupacional, habilitado para aplicar esta técnica de tratamento, prioriza a melhora da capacidade funcional da criança e do adulto para dar maior independência para as atividades de a sua rotina diária ao brincar, nas atividades de alimentação, vestuário, higiene, escolar e profissional.

Assim, em um ambiente agradável e lúdico, é possível trabalhar com o rolo ou a bola terapêutica, o alinhamento biomecânico juntamente com a descarga de peso no membro superior, extensão do cotovelo, rotação de tronco, uma atividade funcional como o alcance de uma bola ao jogar em um alvo, como o boliche por exemplo.

Em cada sessão se busca através de manuseios terapêuticos, movimentos mais controlados e com finalidade pré estabelecida quanto a função específica que será atingida. Essas funções podem ser escovar os dentes, trocar de roupa, pentear o cabelo entre outras.

A medida que a criança torna-se capaz de realizar atividades, diminui gradativamente a interferência direta do terapeuta, pois promove o aumento da sua independência, para que ela possa realizar as atividades funcionais de uma maneira eficiente e com menor gasto energético.

O Terapeuta Ocupacional também auxilia na avaliação e indicação de recursos materiais como: mesa, cadeiras, andadores, para melhorar o posicionamento da criança na escola e em casa, além da indicação de adaptações de material escolar e dos utensílios domésticos.

Foi desenvolvido para pacientes com:

  • Disfunções neurológicas (AVC, Paralisia Cerebral, Patologias Motoras)
  • Traumatismo craniano,
  • Esclerose múltipla,
  • Lesão medular