O que é a Psicologia?

Envolve o estudo científico do comportamento com o objetivo da compreensão de grupos, instituições e indivíduos, estudando também os processos fisiológicos e biológicos que acompanham os comportamentos e funções cognitivas. A depender da abordagem, explora conceitos como percepção, cognição, atenção, emoção, inteligência, fenomenologia, motivação, funcionamento do cérebro humano, personalidade, comportamento, relacionamentos interpessoais, além de variáveis sociais, culturais e históricas que se relacionam com os fenômenos humanos.

Abordagens de atuação clínica

As práticas utilizadas pelos profissionais são baseadas na ciência comportamental, sendo intervenções respaldadas pela Análise do Comportamento, na qual se aplicam os conhecimentos oriundos da ciência comportamental para trabalhar os diversos comportamentos de um indivíduo, sejam eles públicos (que são possíveis de serem vistos pelos demais) ou encobertos (pensamentos, emoções, dentre outros) (TODOROV; HANNA, 2020).

Indicações: No contexto clínico, há diversos estudos que demonstram as evidências da terapia analítico-comportamental aplicada às mais diversas populações (crianças, adolescentes e adultos) e para várias necessidades e situações, como, por exemplo, dificuldades do dia a dia (trabalho, escola, família), problemas conjugais, tabagismo, estresse, transtornos psiquiátricos ou do desenvolvimento, dentre outros (GUINTHER; DOUGHER, 2013). A população atendida pela equipe de Psicologia da Clínica Ludens são crianças e adolescentes com o desenvolvimento atípico, transtornos do desenvolvimento ou com queixas de comportamento.

É o estudo e a análise do funcionamento cerebral e suas relações com o comportamento, cognição e emoções. Utilizada tanto em quadros de doença como no desenvolvimento típico ou atípico de crianças, adultos e idosos. O objetivo principal do neuropsicólogo e correlacionar as alterações observadas no comportamento do paciente com as funções cerebrais envolvidas, realizando, essencialmente, um trabalho de investigação clínica que utiliza testes neuropsicológicos, entrevista e atividades direcionadas e planejadas para a avaliação.

Indicações: A avaliação neuropsicológica infantil e adolescente é indicada em casos de: dificuldades de aprendizagem, dificuldades atencionais ou hipótese de Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH), alterações de linguagem, alteração no desenvolvimento (TEA, deficiência intelectual), quadros epilépticos, doenças metabólicas e cromossômicas (ex: síndrome de down), entre outras.

O treinamento de pais é uma estratégia incluída na atuação psicológica, e pretende instruir os pais acerca de práticas parentais que visam diminuir comportamentos desadaptativos e incentivar comportamentos pró-sociais das crianças. É relevante a implementação desse programa de tratamento em contextos clínicos, escolares e hospitalares como forma de prevenção e promoção de saúde, considerando que a qualidade da relação entre pais e filhos exerce grande influência no desenvolvimento infantil.

Indicações: Quando existe alguma queixa comportamental ou ainda uma psicopatologia e a criança realiza alguma terapia, os pais/cuidadores precisam de apoio e orientação para trilharem juntos com o filho o caminho diário da evolução, pois o engajamento dos pais para a psicoterapia com crianças permite que sejam alcançados objetivos e metas para que assim ocorra o desenvolvimento e mudanças comportamentais.

Durante o processo de orientação profissional, o cliente aprende a escolher, que é um comportamento de tomar uma decisão. Para isso, o vestibulando deve considerar: as variáveis pessoais às quais se encontra exposto, e que envolvem o controle e a expectativa dos pais, influências de pessoas significativas e a história de reforçamento anterior para determinada atividade; e as variáveis profissionais, que incluem informações sobre cursos e áreas de atuação e a tomada de decisão – que inclui a história de aprendizagem em tomada de decisão -, o custo da resposta para isto, critérios de inclusão e exclusão para a seleção e restrição das opções profissionais e a consideração de consequências reforçadoras a médio e longo prazo.

Indicações: pré-vestibulandos, vestibulandos ou qualquer pessoa que queira mudar de área de atuação ou esteja descontente com a profissão.

Profissionais