140x140

Psicologia - Neuropsicologia

É um ramo da psicologia que estuda as relações entre o cérebro e o comportamento humano através das interconexões entre a Psicologia e a Neurologia. Tem como principal foco, investigar como as diferentes lesões causam déficits em diversas áreas da cognição humana (processo que envolve percepção, atenção, memória, raciocínio, juízo, imaginação e linguagem). A neuropsicologia atua mais comumente no estudo das funções mentais superiores, além de analisar áreas como agressividade, sexualidade, que tradicionalmente são investigadas por abordagens fisiológicas e biológicas (neurobiologia, neurofisiologia, psicofisiologia, psicobiologia)

O conceito de Neuropsicologia para Luria (1981) é a ciência cujo objetivo específico é a investigação do papel dos sistemas cerebrais individuais nas formas complexas da atividade mental. E para Lezak (apud AMBRÓZIO, RIECHI 2005, p.3) “Ciência dedicada a estudar a expressão comportamental das disfunções cerebrais.”

Segundo Malloy-Diniz (2010) A neuropsicológica preocupa-se com a complexa organização cerebral e suas relações com o comportamento e a cognição, tanto em quadros de doença como no desenvolvimento normal, e é definida como a ciência aplicada que estuda a expressão comportamental das disfunções cerebrais.

O neuropsicólogo tem por objetivo principal correlacionar as alterações observadas no comportamento do paciente com as possíveis áreas cerebrais envolvidas, realizando, essencialmente um trabalho de investigação clinica que utiliza testes e exercícios neuropsicológicos. (Malloy-Diniz, 2010)

A avaliação neuropsicológica tem como objetivo estudar as relações entre a atividade cerebral, cognição e o comportamento (Lezak, Howieson & Loring, 2004). Esse tipo de avaliação se baseia na análise funcional dos processos cognitivos (linguagem, memória, percepção, visocontrução, funções executivas) e na compreensão multidimensional dos prejuízos cognitivos. Assim, compreende-se que as alterações cognitivas, comportamentais e emocionais variam de acordo com a natureza, extensão e localização da lesão cerebral, bem como são influenciadas pelas variáveis idade, gênero, condições físicas e contexto psicossocial de desenvolvimento (Lezak e colaboradores, 2004).

Na criança e no adolescente a avaliação neuropsicológica tem sido comumente realizada nos casos de problemas neurológicos (Anderson, Anderson, Northam, Jacobs & Mikiewicz, 2002; Steinlin e colaboradores, 2003). Dessa forma, a importância da avaliação neuropsicológica em crianças foi destacada na investigação de dano cerebral após traumatismo craniano e acidente vascular (Donders & Nesbit-Greene, 2004; Guimarães, Ciasca & Moura-Ribeiro, 2002), na avaliação pré e pós-intervenção cirúrgica (Guimarães, Souza, Montenegro, Cendes & Guerreiro, 2003) e em problemas de aprendizagem (Lindsay, Tomazic, Levine & Accardo, 2001).


Pesquisas sobre avaliação das funções cognitivas associadas ao transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (Koschack, Kunert, Derichs, Weniger & Irle, 2003; Rubia e colaboradores, 2001), ao transtorno de estresse pós-traumático (Beers & De Bellis, 2002), aos transtornos de ansiedade (Toren e colaboradores, 2000), ao transtorno obsessivo-compulsivo (Roth, Milovan, Baribeau & O'Connor, 2005) e aos transtornos de humor têm sido realizadas (Cataldo, Nobile, Lorusso, Battaglia & Molteni, 2005).


A importância da avaliação neuropsicológica de crianças foi destacada na investigação de dano cerebral após traumatismo craniano e acidente vascular, na avaliação pré e pós-cirurgia e em problemas de aprendizagem.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
AMBRÓZIO, C.; RIECHI, T.; BRITES M.; JAMUS, D.; PETRI, C.; ROSA, T; FAJARDO, D. Neuropsicologia teoria e prática. Disponível em: < http://www.proec.ufpr.br/enec2005/download/pdf/SA%DADE/PDF%20SAUDE/45%20-%20NEUROPSICOLOGIA%20TEORIA%20E%20PR%C1TICA%20-%20rev.pdf>. Acesso em: 22 de janeiro de 2015.
CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA. Resolução 02/2004. Disponível em: < http://www.crp.org.br/legislacao/resolucoes/federais/2004/resolucao2004_2.pdf>. Acesso em: 20 de out de 2012.
LURIA, A.R. Fundamentos de Neuropsicologia. (1981). São Paulo: EDUSP.
KRISTENSEN, C.H.; ALMEIDA, R.M.M.; GOMES, W.B. (2001). Desenvolvimento Histórico e Fundamentos Metodológicos da Neuropsicologia Cognitiva. Psicologia: Reflexão e Crítica, 14(2), p. 259-274.
MALLOY-DINIZ , L.F. [et al.]. Avaliação neuropsicológica – Porto Alegre: Artmed. 2010. 432p.
PONTES, Livia Maria Martins; HUBNER, Maria Martha Costa. A reabilitação neuropsicológica sob a ótica da psicologia comportamental. Rev. psiquiatr. clín., São Paulo, v. 35, n. 1, 2008 . Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-60832008000100002&lng=en&nrm=iso>. acesso em 24 Out. 2012
VENTURA, Dora Fix. Um Retrato da Área de Neurociência e Comportamento no Brasil Psicologia. Universidade de São Paulo: Teoria e Pesquisa 2010, Vol. 26 n. especial, pp. 123-129
ALCANTARA, Joseane; FERREIRA, Sandra de Fática Barboza. CONTRIBUIÇÕES DA AVALIAÇÃO NEUROPSICOLÓGICA PARA O DIAGNÓSTICO COMPLEMENTAR DE QUADROS SINDRÔMICOS: ESTUDO DE CASO. 2010.
Winograd, Monah;Jesus, Milena Vasconcelos Martins de; Uehara, Emmy. Aspectos qualitativos na prática da avaliação neuropsicológica.Ciências & Cognição 2012; Vol 17 (2): 002-013