O que é Fisioterapia?

Fisioterapia é uma ciência da saúde que estuda, previne e trata os distúrbios cinéticos funcionais intercorrentes em órgãos e sistemas do corpo humano, gerados por alterações genéticas, traumas e por doenças adquiridas. Fundamenta suas ações em mecanismos terapêuticos próprios, sistematizados pelos estudos da biologia, das ciências morfológicas, das ciências fisiológicas, das patologias, da bioquímica, da biofísica, da biomecânica, da cinesia, funcional e da patologia de órgãos e sistemas do corpo humano e as disciplinas comportamentais e sociais (COFFITO).

Fisioterapia Neuro Funcional

É a área de especialidade da Fisioterapia que atua de forma preventiva, curativa, adaptativa ou paliativa nas sequelas resultantes de danos ao Sistema Nervoso, abrangendo tanto o Sistema Nervoso Central como o Periférico, bem como aqueles com doenças neuromusculares (do neurônio motor, da placa motora e do músculo propriamente dito – miopatias). O fisioterapeuta neurofuncional tem a responsabilidade de avaliar o paciente, dar o diagnóstico cinético funcional, prescrever o tratamento e realizá-lo. É responsabilidade deste profissional, também, definir o momento da alta destes pacientes (ABRAFIN)

O Conceito de Tratamento Neuroevolutivo Bobath oferece uma abordagem interdisciplinar de solução de problemas para a avaliação e tratamento. Propõe o gerenciamento do indivíduo com limitação para participar totalmente do cotidiano, devido a danos motores (incluindo tônus muscular e padrões de movimento), funções sensoriais, perceptivas e cognitivas, resultantes dos distúrbios do SNC – Sistema Nervoso Central. (Mayston, EBTA 2004).

“Trata-se de um modelo de prática holística e interdisciplinar, apoiada em pesquisas atualizadas que enfatiza o manuseio terapêutico baseado na análise do movimento, para habilitar e reabilitar indivíduos com fisiopatologias neurológicas. A base para o exame, avaliação e intervenção, provém do conhecimento extenso do desenvolvimento típico e atípico, assim como a análise detalhada do controle postural, movimento e participação do indivíduo em seu meio ambiente, familiar e social. O manuseio direto durante a avaliação e intervenção consiste na dinâmica recíproca de interação entre o cliente e o terapeuta, para a ativação adequada do sistema sensório- motor, desempenho da atividade e aquisição das habilidades para que o cliente alcance a participação plena em atividades relevantes nas diferentes etapas de sua vida”. (NDTA 2017)

Indicações: disfunções neurológicas (AVC, paralisia cerebral, patologias motoras), traumatismo craniano, esclerose múltipla, lesão medular, síndromes genéticas, Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA).

Promove o movimento funcional por meio da facilitação, inibição, fortalecimento e relaxamento de grupos musculares, utilizando contrações musculares concêntricas, excêntricas e estáticas, combinadas com resistência propriamente graduada e procedimentos facilitários adequados, todos ajustados para atingir as necessidades de cada paciente.

Indicações: disfunções neuromusculares esqueléticas decorrentes de patologias ortopédicas, reumáticas e neurológicas.

Os videogames são as principais ferramentas, em especial o Nintendo Wii. Por ser extremamente interativo, esse tipo de jogo demanda uma gama de movimentos do jogador. Sua utilização ajuda muito no processo da reabilitação, pois durante uma sessão pode ser trabalhado: força muscular de membros superiores e inferiores, equilíbrio estático e dinâmico, coordenação, orientação espacial, cognição, entre outros aspectos importantes para o tratamento do paciente neurológico. Outra qualidade da Wii Reabilitação é a motivação, que ajuda muito na adesão do paciente ao plano de tratamento. Esse tipo de tratamento faz com que o paciente automatize seus movimentos através da realidade virtual, o que possibilita melhora em sua evolução clínica.

Indicações: disfunções neuromusculares esqueléticas decorrentes de patologias ortopédicas, reumáticas e neurológicas.

Uma alternativa eficiente, segura e confortável para o paciente no processo de reabilitação funcional da marcha e amplamente utilizado durante as terapias. Através de mudanças no suporte parcial do peso corporal durante o treino, a técnica mostrou-se eficaz para facilitar a marcha precoce, com menor gasto energético, maior segurança na postura em pé e ao movimento, além da adequação aos princípios da aprendizagem motora (Haupenthal, Schutz e col., 2008).

Indicações: disfunções neurológicas (AVC, paralisia cerebral, patologias motoras), traumatismo craniano, esclerose múltipla, lesão medular, síndromes genéticas, Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA).

A técnica de Integração Sensorial é de uso exclusivo da Terapia Ocupacional, porém, a Fisioterapia utiliza os recursos desta técnica agregando maiores benefícios à estimulação neurosensoriomotora do paciente. Permite à Fisioterapia desenvolver novas estratégias terapêuticas, com ferramentas de acordo com o perfil sensorial de cada indivíduo, utilizando novos enfoques para proporcionar uma melhor eficiência na intervenção motora.

Indicações: pacientes com disfunções neurofuncionais que apresentem alterações sensoriais comprometendo, assim, a funcionalidade.

Consiste em um programa que visa o ganho de força em crianças com paralisia cerebral, utilizando o Suit (veste) e a Universal Exercise Unit (gaiola com acessórios) combatendo os efeitos do desuso e imobilização. A Ludens possui uma unidade específica para a realização do Protocolo TheraSuit®. O método tem indicação para ser realizado três vezes ao ano para que os ganhos sejam permanentes.

Indicações: crianças com paralisia cerebral, pacientes pós acidente vascular cerebral, pacientes pós traumatismo craniano, danos na medula espinhal, disfunções neuromusculares.

Consiste na aplicação de corrente elétrica galvânica de baixa voltagem (2mA) com a finalidade de modular a excitabilidade neuronal espontânea. É preconizada como uma técnica segura, cuja ocorrência de efeitos adversos é mínima, em sua maioria caracterizada por parestesia, discreto desconforto no local dos eletrodos, cefaleia, entre outros.

O protocolo de atuação da ETCC pela Clínica Ludens consiste na aplicação do ETCC associado a exercícios funcionais, perfazendo um total de 20 horas, sendo 2 horas diárias por 10 dias. Desta carga horária, 1 hora e 40 minutos são realizados exercícios com diferentes recursos (gaiola do TheraSuit®, plataforma vibratória, coletes e retificação, eletroterapia), de acordo com a necessidade do paciente. Nos 20 minutos finais, é realizada a aplicação da corrente nas regiões selecionadas pelo fisioterapeuta, o que potencializa tudo que foi trabalhado.

Indicações: pacientes com danos em sistema nervoso central, tais como: paralisia cerebral, acidente vascular cerebral, traumatismo craniano.

Avaliações em Fisioterapia

Análise minuciosa e fidedigna das reais condições funcionais do paciente a partir de uma anamnese e aplicação de questionários e escalas indicadas para cada caso, evoluindo para avaliação funcional, onde todas as informações coletadas são descritas em um relatório completo, contendo a indicação dos objetivos, bem como indicações de conduta e encaminhamentos.

Questionários, Testes e Avaliações:
• Escala de Avaliação do Desenvolvimento e Habilidades – GMFM, GMFCS;
• Escala de Desenvolvimento para Bebês e Crianças – Teste Bayley®;
• Escala de Equilíbrio de BERG;
• Escala de Medida de Independência Funcional – MIF;
• Questionário de qualidade de vida – SF 36;
• Mini Exame do Estado Mental – MiniMental;
• Avaliação de Hammersmith