22 de fevereiro de 2019

|

por: ludens

|

Categorias: Novidades de Tratamento

Cuidado com as alergias

 

Algo que aparentemente é simples, em alguns casos se complica, se prolonga e pode tirar o sono de muitas crianças e, principalmente, de seus pais: a alergia. A Clínica Ludens entrevistou o médico alergista e imunologista do Instituto de Alergia Campinas, Dr. Eli Mansur, e apurou valiosas informações que podem ser conferidas abaixo. Confira:

 

O que é alergia?

 

Alergia é uma resposta contra algo que nosso corpo deveria tolerar ou uma resposta exagerada a algo e que envolve o sistema imunológico. Trata-se de uma hipersensibilidade imunomediada.

 

Quais são as mais comuns que as crianças apresentam desde bebês? E quais as mais raras?

 

As alergias mais comuns nas crianças são as chamadas atópicas, como rinite, asma e dermatite atópica. A alergia ao leite de vaca e ao ovo está ficando cada vez mais frequente também. Temos formas que são mais raras na infância, como algumas alergias alimentares (camarão, alguns tipos de castanhas), a ferroada de abelha e a alguns medicamentos.

 

Falando em alergias alimentares, como a do leite, por exemplo, hoje em dia é mais comum vermos crianças apresentando essas reações. Realmente teve um aumento ou o diagnóstico é que se tornou mais certo?

 

A incidência de alergia alimentar na infância – e consequentemente o seu diagnóstico – está aumentando muito mesmo, porém, não temos ainda a explicação para isso. É possível que as mudanças no tipo de alimentação possam ser um dos fatores para esse agravante, porém, faltam mais evidências científicas que sustentem essa hipótese.

 

Mas devemos ficar atentos, pois muitas situações clínicas estão sendo atribuídas, erroneamente, a alergias alimentares. Um exemplo é a relação que tem sido feita de rinite com alergia ao leite. E isso não acontece só por leigos, mas também por médicos, infelizmente.

 

Existem alergias graves?

 

Sim, existem formas graves de dermatite que afetam enormemente a qualidade de vida, assim como a asma grave pode matar se não tratada. Muita atenção também para alergias que podem se manifestar em anafilaxia, como as de alimentos, medicamentos, abelha, vespa, formiga, entre outras. A anafilaxia, se não tratada prontamente com adrenalina, pode evoluir de forma dramática e levar à morte por edema de glote e sufocamento.

 

Quais exames podemos fazer para descobrir alergias comuns e mais raras?

 

É importante, antes de mais nada, esclarecer que exames não fazem diagnóstico. Eles ajudam a confirmar ou descartar uma determinada suspeita clínica. Exames tanto para alergias comuns como para as mais raras obedecem aos mesmos princípios. Existem os testes cutâneos, os de laboratório e os de provocação. Todos devem ser indicados apenas por médicos após avaliação clínica e com conhecimentos suficientes para interpretar os resultados de acordo com a situação de cada paciente.

 

Quais os tratamentos para os diversos tipos de alergias?

 

Os tratamentos dependem muito da alergia em questão. De forma básica, se um paciente tem alergia a determinada substância (seja alimento, medicamento ou ácaros), ele não deve ter contato com ela. Mas, obviamente, isso nem sempre é possível, por isso temos esquemas de dessensibilização (indução de tolerância) disponíveis para várias alergias. Já para ácaros (rinite, asma, dermatite, conjuntivite), além de medicações, existem também as vacinas (imunoterapia).

 

Alergia pode ser curada?

Algumas podem melhorar e desaparecer. Além disso, algumas dessensibilizações podem levar ao desaparecimento dos sintomas por um longo período de tempo.