14 de julho de 2020

|

por: ludens

|

Categorias: Novidades de Tratamento

A musicalização nos intensivos do TheraSuit

*Melissa Gurgel, fisioterapeuta da Ludens

 

As alterações sofridas pela Paralisia Cerebral e outras desordens do sistema nervoso no sistema motor podem ser tratadas por meio de Terapia Neuromotora Intensiva como o método Therasuit. Este método é utilizado na fisioterapia e desenvolvido durante 3 horas por dia, em torno de quatro semanas consecutivas até o término do tratamento. O objetivo é promover, restaurar ou manter a funcionalidade do corpo, melhorar a propriocepção, restaurar os padrões normais de movimento e corrigir o alinhamento corporal, dando suporte para a musculatura fraca e estimulando, assim, o treino do sistema nervoso central.

Somando-se a isso, existem recursos que podemos introduzir neste período para atenuar a exaustão do protocolo de 4 semanas, e a musicalização é um deles. Sabe-se que a criança, desde a barriga da mãe, seja ela portadora ou não de uma necessidade especial, já tem contato com a música. A mesma pode ter um papel muito importante, sendo uma atividade indispensável no processo de desenvolvimento do bebê e da criança, auxiliando na parte cognitiva. Por isso, deve ser valorizada a fim de potencializar a imaginação, linguagem, atenção, memória e outras habilidades, além de contribuir de forma eficaz no processo de ensino-aprendizagem.

Visto a grande variedade de necessidades especiais existentes, temos exemplos mais comuns na escola, como: a surdez, condição em que a criança tem perda total ou parcial de sua audição; a cegueira, na qual o portador tem perda parcial ou total da visão; e a paralisia na qual o portador tem perda total ou parcial do movimento de uma ou mais partes do seu corpo.

Cada criança tem seu grau de comprometimento e o professor de Musicalização deve estar preparado para lidar com a situação e criar um ambiente no qual o ensino-aprendizagem seja satisfatório junto ao fisioterapeuta que está conduzindo a terapia intensiva.

As famílias costumam nos relatar melhoras significativas nos quadros clínicos no que diz respeito a interesse em movimentar-se e a tentar emitir sons com a voz. Muitas crianças tentam solfejar as músicas que são cantadas nas aulas e brincar com os brinquedos sonoros que utilizamos, aprendendo novos movimentos utilizando as mãos (movimento gestual sim e não, dar tchau, bater palmas e mandar beijo) e a  dançar enquanto escutam música e a prestar mais atenção aos sons que a rodeiam. Isso ajuda significativamente em relação a movimento, cognição, atenção, memória e comportamento.

Visto que em apenas quatro semanas do tratamento do Therasuit a criança tem essa melhora em seu quadro clínico, podemos perceber a importância da musicalização para crianças com necessidades especiais, onde as mesmas, além de poderem se expressar através da música e receber, assim, os benefícios que a mesma lhe proporciona, podem também interagir com outras crianças e com o mundo que as cerca, tendo uma melhor qualidade de vida.