19 de junho de 2019

|

por: ludens

|

Categorias: Novidades de Tratamento

A importância do brincar e seu desenvolvimento

Por Jaqueline Garrido

 

Mais do que um instrumento garantido na Declaração Universal dos Direitos da Criança, o brincar durante o processo do desenvolvimento é uma ferramenta essencial para a criança.

Piaget, ao longo de seus estudos, utilizou dos jogos para investigar diferentes questões e mostrou que estes meios contribuem para o desenvolvimento intelectual. Além disso, o brincar permite à criança se desenvolver além dos aspectos cognitivos, nos meios afetivos, motores, linguísticos e sociais. Ao manifestar o lúdico, ela apresenta em que nível se encontra cognitivamente, portanto, é muito importante conhecer os estágios do desenvolvimento infantil.

Ainda segundo Piaget, de um ano e meio até dois anos, o lúdico tem como característica essencial o exercício que se refere a qualquer objeto ou situação à sua frente, na qual a criança exercita a atividade de brincar ao rolar uma bola, por exemplo, ou então produzir sons, repetindo ações e observando seus resultados.

Já entre dois e sete anos, em média, o lúdico adquire caráter simbólico e a brincadeira vai se se aproximando mais do real, como por exemplo a boneca que acorda, toma banho, troca de roupa e vai para a escola.

A partir dos seis anos surgem os jogos de regras, que são uma combinação motora (jogos com bola) ou mais intelectual (dama, cartas).

Segundo Vygotsky, o ato de brincar tem relevante papel na constituição do pensamento infantil, pois é brincando que a criança revela seu estado cognitivo, motor, visual, auditivo e tátil, ou seja, seu modo de aprender e entrar em uma relação cognitiva com o mundo de eventos, pessoas, coisas e símbolos.

Tanto para Vygotsky como para Piaget, o desenvolvimento não é linear, mas evolutivo. Nesse caminho, a imaginação se desenvolve.

Na formação de conceitos acontece a verdadeira aprendizagem, e é no brincar que está um dos maiores espaços para a formação de conceitos.

Brincar é sinônimo de aprender. E você, ainda tem alguma dúvida sobre sua importância?